Como praticar o ócio produtivo

Ócio produtivo (também chamado de ócio criativo) não é preguiça! Ócio é um estado de relaxe auto-induzido e consciente. Ou seja, a pessoa pratica-o porque quer, porque escolheu e não porque distraiu-se a olhar o feed do Instagram ou para o pôr-do-sol e perdeu-se nos seus próprios pensamentos.

Da mesma forma que ser produtivo é crucial para o progresso do nosso trabalho, saber relaxar pode até melhorar a nossa performance. Segundo este artigo, desde 1818, quando o precursor do socialismo Robert Owen diminuiu a jornada de trabalho dos seus funcionários, não só registou-se um aumento considerável na produtividade da sua empresa, como também promoveu-se a empregabilidade nos Estados Unidos, o que ilustra os benefícios do ócio produtivo na economia.

Assim sendo, decidi partilhar contigo como é que eu pratico o meu ócio produtivo.

1. Escolhe um espaço que te inspire

espaço inspirador

Quando precisares de parar de olhar para o ecrã e distanciar-te do que te cansa, evita ficar no mesmo espaço físico que te cansou. Se tens a tua área de trabalho decorada para promover o teu bem-estar e criatividade, durante o tempo do ócio produtivo, aproxima-te do elemento que mais te tranquiliza e inspira.

Isso pode traduzir-se na tua planta favorita (plantas são óptimas fontes de inspiração e promovem a criatividade humana), no quadro mais engraçado, na vista mais azul ou mesmo numa caminhada até à roulotte da esquina.

Sem julgamento nem retenções, deixa o teu espaço te inspirar.

2. Escolhe uma boa companhia

ócio produtivo

Escolhe de forma consciente quem queres que esteja contigo quando a intenção for descarregar e respirar. Isso inclui-te à ti mesmo. Se és a tua melhor companhia, aproveita-te, percebe-te, analisa-te e filosofa contigo.

Nos meus momentos de ócio mais curtos, definitivamente a minha companhia é a melhor, seja quando decido ficar um pouco mais de tempo na cama, caminhar por meia hora ou simplesmente olhar para o tecto.

A meditação pode ser uma boa ferramenta para esses momentos. O próprio Steve Jobs declarou usar a meditação como fonte de inspiração.

Porém, podes também optar por ter pessoas à volta ou algo auditivo como rádio, podcasts e música. Assistir séries nesse momento não é necessariamente produtivo, mas se o conteúdo que consumires te inspirar, quem sou eu para julgar?

Ler também: 5 fontes gratuita de informação para alimentar o auto-didacta em ti

3. Anota os teus pensamentos soltos

escrever pensamentos

Até hoje, as pessoas mais ricas do mundo ainda recorrem ao formato analógico quando se trata de registar ideias soltas. Warren Buffet, considerado o mais bem-sucedido investidor do século XX, diz fazer uso do bom e velho papel e lapiseira até hoje.

Eu não sou rica (ainda), mas faço-me sempre acompanhar do meu bloquinho de notas, porque as minhas melhores ideias vêm nos momentos mais inusitados. Foi assim com o quadro Negócios Autónomos e creio que será com todos os meus próximo projectos.

Quando decidires “fazer nada”, não penses que a tua mente vai fazer o mesmo; pelo contrário, ela estará mais activa do que nunca porque até o nosso cérebro adora um momento de relaxe.

Conclusão

Lembra-te que praticar o ócio produtivo pode tornar-se no momento mais produtivo do teu dia. Se escolheres o lugar e companhia certos, vais aumentar as chances de te inspirares e retirar algo positivo desse momento. Permite-te relaxar, mas não deixes passar as óptimas ideias que te podem fazer evoluir ainda mais rápido.

Agora, tudo que tens de fazer é programar o teu tempo de ócio produtivo na agenda e ser um péssimo infeliz enquanto o praticares. 😉

SESSÃO DE LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES
A informação será transferida para o MailChimp ( + info )
Gostaria de marcar uma sessão de avaliação para saber como tirar a minha ideia de negócio do papel ou tornar o meu actual negócio sustentável
O teu email será somente usado para os fins indicados.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *